sao_valentim

Cheira a amor…

No sábado passado, foi o Dia dos Namorados ou para quem queira o dia de São Valentim… tanto faz, fica ao “gosto do fregês”. O que interessa é que, o Cupido, um menino com cabelo loiro aos caracóis e voador (devido ao efeito do “Red Bull”, visto que, “Red Bull dá-te asas” conforme é referido no anúncio) com o seu ar angelical e muito amoroso pegou no seu arco e flecha e passeou por vários continentes atravessando mares e oceanos e cada vez que, parava, piscava um olho e mirava um alvo, alguém era atingido pela flecha do amor…!

E tumba! E um suspiro alegre e catita de uma mulher ou de um homem que, cujas feromonas entraram em erupção e “puf”… lá se vai a racionalidade pensando só com o coração e de como realizar os desejos mais profundos e recônditos do seu ser. E numa desenfreada vontade de agradar e mimar à sua cara-metade!

Ora seja, com flores, chocolates, postais, jantares à luz das velas, uma noite num hotel (para os mais endinheirados, quer dizer, para aqueles que ainda têm sorte de ter uns “tostanitos”, devido à crise) ou há até mesmo quem aproveite para fazer declarações de amor ou um pedido de namoro (o que já está um pouco fora de moda) ou talvez, um pedido de casamento… há de tudo um pouco. Haja imaginação e muito amor acima de tudo!

Mas afinal, o que é o dia de São Valentim? Existe desde quando? Qual o seu significado?

Já alguma vez se perguntaram?

Ora, portanto, eu vos direi. A história do Dia de São Valentim remonta já há Idade Média. Naquela época, existiam muitas guerras (quer dizer, não é que agora não existam mas tal facto não vem ao caso) e o Bispo Valentim também travava uma “guerra”, visto que, lutara contra as ordens do Imperador Cláudio II que considerava que os homens solteiros seriam melhor combatentes do que os homens casados. Coitado, de certeza que estava mal de amores… ou não era correspondido! Pobre homem, parvoíces da altura!

Só um aparte. Não é que agora não deixa de ser uma autêntica estupidez (para alguns embora para outros não) os padres não se poder casar. São homens como os outros. Enfim! Adiante.

Continuando a nossa história… o Bispo continuou a realizar as cerimónias religiosas mesmo contra as ordens do Imperador. E por Valentim cometer tal despautério no pensamento retrógrado de Cláudio II este ordenou a sua prisão e condenou-o à morte.

Mas já na prisão, Valentim apaixonou-se pela filha cega de um guarda e a moça como por milagre recuperou a visão. E antes de Valentim ser condenado escrevera-lhe uma carta, terminando a carta desta forma: “…de seu namorado, Valentim”.

E foi assim. Mas se foi ou não foi não sabemos. O que sabemos é que, todos os anos em Portugal festeja-se no dia 14 de Fevereiro o Dia dos Namorados.

Ora bem, seja o Dia dos Namorados ou Namoradas, Amantes, Maridos, Esposas, “ficantes”, amigos coloridos,…

O que interessa é o AMOR!

Se quiserem ver e pôr 1 “gosto” na minha página oficial do Silêncio que não quer Calar, deixo-vos aqui o link   https://www.facebook.com/silencioquenaoquercalar?fref=ts

E se quiserem que a autora de Silêncio que não que Calar fale de um assunto ao vosso gosto ou de um tema que, vocês gostassem de ver/ler discutido podem enviar para o seguinte email: silencioquenaoquercalar@sapo.pt

Silêncio que não quer Calar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s